AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA CLÍNICA DE UMA FORMULAÇÃO ANTIPARASITÁRIA CONTENDO MOXIDECTINA E PRAZIQUANTEL1, ADMINISTRADA VIA ORAL EM EQUINOS

  • Rui Pedro Vieira Godinho
  • Karla de Melo Lima
  • José Maciel Rodrigues Júnior
  • Rafael Paranhos de Mendonça Universidade de Franca
  • Sabrina Nathália Louzada Nogueira Universidade de Franca
  • Roberto Popolim
  • Cláudio Floriano Stefanoni
  • Daniela Miyasaka Silveira Cassol Noxon do Brasil
Palavras-chave: Antiparasitários, Cavalos, Glutamina, Segurança.

Resumo

Devido aos problemas causados pelos parasitos nos animais, novas associações são continuamente pesquisadas para controle destas parasitoses. Porém, mesmo com o desenvolvimento de novos produtos, estes devem atender a três quesitos básicos, segurança, eficácia e relação custo benefício. Nesse contexto, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento exige testes de inocuidade para registro de produtos veterinários. Desta forma, o presente estudo avaliou um produto antiparasitário contendo moxidectina e praziquantel (com glutamina), aplicado pela via oral em equinos. Para isto, foram selecionados 16 equinos, mestiços, machos e fêmeas, comprovadamente hígidos, avaliados por meio de exames clínicos e laboratoriais. Após seleção os animais foram divididos em grupo tratado (Pégasus Trio1) e grupo controle (não tratado). Os animais do grupo tratado receberam o produto Pégasus Trio (moxidectina 0,24g e praziquantel 1,5g), por via oral e os do grupo controle não receberam qualquer tipo de tratamento. Tanto os animais do grupo tratado como os dos grupos controle foram submetidos a avaliações clínicas detalhadas, incluindo colheita de sangue para análise laboratorial, antes e após o tratamento. As avaliações pós-tratamento foram realizadas nos dias +1,+ 2, +3 e +24 nos dois grupos de animais. Os resultados demonstraram que não houve alterações clínicas significativas nos animais do grupo tratado em comparação com os animais do grupo controle. Nos exames hematológicos e bioquímicos também não houve diferença estatística entre os grupos avaliados. Deste modo, concluiu-se que, a formulação contendo moxidectina 0,24g e praziquantel 1,5g (Pégasus Trio1) administrada pela via oral em equinos é segura, de acordo com a dosagem recomendada pelo fabricante. 
Publicado
2016-10-18
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017