AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE LEISHMANICIDA IN VITRO DE ALGUNS ANÁLOGOS DE CURCUMINA

  • Karla Ramos da Silva UNIVERSIDADE DE FRANCA UNIFRAN
  • Julia Medeiros Souza Universidade de Franca
  • Rosangela Silva Universidade de Franca
  • Govind J. Kapadia Howard University
  • Subba Rao Global Biotechnology Resource Center - USA
  • Lizandra Guidi Magalhães Universidade de Franca
Palavras-chave: Citotoxicidade, Curcumina, Hemólise, Leishmania amazonensis

Resumo

A leishmaniose cutânea é uma doença causada por parasitos do gênero Leishmania, que ocorre frequentemente em países das regiões tropicais e subtropicais O seu tratamento consiste basicamente de poucos fármacos como antimoniais pentavalentes e anfotericina B. Uma vez que os medicamentos utilizados na prática clínica são altamente tóxicos, tornase clara, a necessidade de se pesquisar novos fármacos com potencial leishmanicida. Recentemente pesquisadores têm mostrado que análogos da curcumina possuem um bom potencial para inibir alguns parasitos. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar alguns análogos de curcumina contra as formas promastigotas de L. amazonensis, sua atividade citotóxica e hemolítica. Na avaliação contra promastigotas, os análogos de curcumina foram adicionados em concentrações de 6,25 a 100 µM por 24 e 48 horas e a contagem dos parasitos foi realizada em câmara de Neubauer. A avaliação da atividade citotóxica foi realizada utilizando macrófagos peritoneais e a viabilidade celular foi determinada após 24 e 48 horas pelo método enzimático quantitativo de MTT (Brometo de 3-(4,5-dimetiltiazol-2-il)-2,5-difeniltetrazólio). A atividade hemolítica foi realizada nas mesmas concentrações citadas anteriormente e incubado por 30 minutos. Os resultados demonstram que os análogos de curcumina 1, 2 e 3 apresentam uma concentração inibitória de 50% das formas promastigota (CI50) de 33,30, 17,25 e 78,89 µM após 24 horas e 7,99, 2,26 e 29,43 µM após 48 horas de cultivo, respectivamente. As amostras 1, 2 e 3 apresentaram uma concentração citotóxica de 50% das células (CC50) de 57,25, 47,52 e 123,50 µM após 24 horas e 45,41, 36,91 e 117,60 após 48 horas, respectivamente. Todas as amostras apresentaram concentração hemolítica de 50% das células (CH50) maior que 100 µM. Através dos resultados obtidos, podemos realizar mais estudos para verificar a atividade dos análogos de curcumina contra as formas amastigotas de L. amazonensis e in vivo.
Publicado
2016-10-18
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017