INFECTIVIDADE DE CISTOS DE Giardia duodenalis APÓS OZONIZAÇÃO EM ÁGUA SUPERFICIAL

  • Liane Yuri Kondo Nakada
  • Vagner Ricardo da Silva Fiuza Universidade Estadual de Campinas
  • Luciana Urbano dos Santos
  • Nilson Branco
  • Gabriela dos Reis
  • Sidnei Lima Siqueira
  • Regina Maura Bueno Franco
  • José Roberto Guimarães
Palavras-chave: camundongo BALB/c, desinfecção, protozoário patogênico, tratamento de água

Resumo

Este estudo visou avaliar o desempenho da ozonização de água superficial inoculada com cistos de Giardia duodenalis por meio de experimento de infectividade animal. A ozonização (5 mg/L) foi realizada em uma coluna de contato contendo 1 litro de água bruta (23 °C; pH 7,1; 22 NTU), inoculada com 1,25 x 105 cistos de G. duodenalis. Os cistos foram concentrados por filtração em membrana seguida de centrifugação. O protocolo do experimento de infectividade animal, registrado sob o número 3120-1, foi aprovado pela Comissão de Ética no Uso de Animais da Universidade Estadual de Campinas. Foram utilizados 15 camundongos BALB/c Specific Pathogen Free de 28 dias de idade, divididos em três grupos com cinco animais cada: A - grupo controle positivo; B - grupo inoculado com os cistos após ozonização; e C - grupo controle negativo. Os inóculos (dose individual de 104 cistos) dos grupos controle foram higienizados com hipoclorito de sódio a 1% (60 minutos, 4 ºC). Foram utilizados mini-isoladores mantidos em rack com sistema de ventilação filtrada, e fornecidas água filtrada e ração autoclavada. Amostras fecais foram coletadas diariamente, purificadas por centrífugo-flutuação com solução de sacarose (1,28 mg∙mL−1) e analisadas por Reação de Imunofluorescência Direta (RID). Todos os animais foram eutanasiados no décimo sexto dia pós-infecção (p.i.). Foram analisadas lâminas: a) de esfregaço da mucosa interna intestinal; e b) de cortes histológicos. A observação de cistos ou trofozoítos em qualquer das lâminas foi interpretada como evidência direta de infecção. Cistos foram detectados em RID nas amostras dos dias 3, 6 e 8 p.i.. Todos os animais do Grupo A, e quatro do grupo B foram infectados. Os resultados indicam que a infecção do grupo controle positivo foi fraca, indicando possíveis problemas com o inóculo; e que a dose de desinfetante aplicada foi insuficiente para inativar a totalidade dos cistos. 
Publicado
2016-10-18
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017