AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ESQUISTOSSOMICIDA in vitro DO EXTRATO DE Phallusia nigra

  • Nayanne Larissa Cunha Universidade de Franca
  • Arthur Alves Ragozoni
  • Gustavo Muniz Dias
  • Marcio Luís Andrade e Silva
  • Wilson Roberto Cunha
  • Patrícia Mendonça Pauletti
  • Ana Helena Januário
Palavras-chave: Ascídias, Atividade esquitossomicida, Phallusia nigra,

Resumo

A Phallusia nigra é um tunicado bentônico séssil, muito comum na costa brasileira e em mares tropicais no mundo, possuindo um número reduzido de predadores, o que sendo desenvolvidos com tunicados e citotoxinas foram isoladas desses animais, mostrando serem eles uma rica fonte de compostos biologicamente ativos, porém os estudos e dados ainda são escassos. O objetivo desse estudo foi avaliar a atividade esquistossomicida in vitro do extrato de P. nigra. Foram avaliados quanto à morte dos vermes adultos do parasito Schistosoma mansoni e a diminuição da atividade motora no intervalo de concentração entre 12,5 e 200 μg/mL diariamente por três dias, em sugere a presença de eficiente defesa química. Muitos estudos farmacológicos vêm comparação com o controle positivo praziquantel. Na avaliação das frações provenientes da coluna cíclica (PN1_1B à PN1_1F), os resultados obtidos permitiram concluir que as frações PN1_1D e PN1_1E foram as mais ativas. A fração PN1_1D foi letal para 50% dos vermes na dose de 100 µg/mL após 48 horas e para 100% dos vermes na mesma dose após 72 horas. Por sua vez, a fração PN1_1E ocasionou a morte de 50% dos vermes na dose de 200 µg/mL após 24 horas. No critério redução da atividade motora, que leva em conta a mobilidade dos vermes, todas as frações apresentaram atividade em alguma extensão, merecendo destaque a fração PN1_1E, a qual apresentou significativa redução da atividade motora na dose de 25µg/mL após 24 horas. Ressalta-se que, com base em levantamentos bibliográficos na literatura científica, os estudos químicos e biológicos anteriores relacionados ao potencial esquistossomicida da ascídia P. nigra são inexistentes. Devido à falta de informações químicas e biológicas sobre P. nigra e a importância biológica do gênero, esta espécie marinha foi selecionada para estudo visando uma melhor compreensão de seu potencial.

Biografia do Autor

Nayanne Larissa Cunha, Universidade de Franca
Química de Produtos Naturais
Publicado
2016-10-18
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017