ENTEROPARASITOSES EM CRIANÇAS DE CRECHE DA CIDADE DE FRANCA-SP NOS ANOS DE 2010 E 2015.

  • Angelica Cristina Alto Unifran
  • Fernando Soares
  • Marcos Aurélio Stoppa
  • Cristiane Tavares
Palavras-chave: Crianças pré-escolares, Enteroparasitoses, Saneamento

Resumo

As enteroparasitoses estão relacionadas com a falta de saneamento básico e a pobreza, sendo um problema de saúde pública. Estima-se que as infecções parasitárias afetam 3,5 bilhões de pessoas no mundo, sendo a maioria crianças. Pesquisas relatam a giardíase como a principal enteroparasitose encontrada e destacam a importância da profilaxia uma vez que esta tem sido correlacionada com diarréia em crianças de creches. Conhecendo a gravidade das parasitoses em crianças, este trabalho teve como objetivo estudar a prevalência de enteroparasitoses em pré-escolares nos anos de 2010 e 2015 correlacionando com a presença de anemias e eosinofilia. Foram coletadas amostras de fezes e de sangue contendo EDTA de 118 crianças de uma creche pública de Franca-SP. No exame coproparasitológico foi empregado o método de Hoffman e a avaliação hematológica realizada pelo contador Mindray BC-3200.No ano de 2010, das 67 participantes do estudo, 10 (14,9%) apresentaram parasitológico positivo, sendo a prevalência de 8 (80%) casos com Giardia lamblia, 1 (10%) com Endolimax nana e 1 (10%) com Enterobios vermiculares. Houve correlação com eosinofilia em 8 (80%) casos, não havendo a presença de anemia em nenhum deles. No ano de 2015 das 51 crianças, 15 (29,4%) delas apresentaram positividade no parasitológico, com 10 (66,7%) casos de Giardia lamblia, 2 (13,3%) de Entamoeba coli, 2 (13,3%) de Endolimax nana e 1 (6,7%) apresentando larva de Strongyloides stercoralis. Houve correlação com eosinofilia em 4 (27%) casos sem a presença de anemia. Concluímos em nosso estudo que as creches podem ser utilizadas como área estratégica para orientação e prevenção das enteroparasitoses na tentativa da redução das mesmas.
Publicado
2016-10-18
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017