PERFIL HEMATOLÓGICO DE CÃES COM BABESIA spp.

  • Mariele Fernanda da Cruz Panegossi UNESP, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba, Araçatuba, São Paulo
  • Walter Bertequini Nagata UNESP, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba, Araçatuba, São Paulo
  • Milena Araúz Viol UNESP, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba, Araçatuba, São Paulo
  • Monally Conceição Costa de Aquino UNESP, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba, Araçatuba, São Paulo
  • Sílvia Helena Venturoli Perri UNESP, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba, Araçatuba, São Paulo
  • Elis Domingos Ferrari UNESP, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba, Araçatuba, São Paulo
  • Bruno César Miranda Oliveira UNESP, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba, Araçatuba, São Paulo
  • Katia Denise Saraiva Bresciani UNESP, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba, Araçatuba, São Paulo
Palavras-chave: Anemia, Babesiose, Caninos

Resumo

A babesiose canina é uma hemoparasitose cosmopolita que se destaca pela intensidade das alterações clínicas. Doença de caráter zoonótico, tem como principais agentes etiológicos espécies de Babesia canis e Babesia gibsoni, sendo transmitida por meio de carraças ixodídeos, como Rhipicephalus sanguineus e Dermacentor reticulatus. O objetivo do presente trabalho foi avaliar o perfil hematológico de cães com diagnóstico parasitológico positivo para Babesia spp. Nessa pesquisa, foram avaliados dados de hemogramas de 101 caninos domiciliados no Município de Araçatuba, São Paulo. Os animais analisados eram de ambos os sexos, com e sem raça definida, e a faixa etária foi classificada em jovens, adultos e idosos. Os resultados alcançados foram submetidos à análise estatística descritiva e inferencial para verificar possíveis associações das variáveis de interesse. A anemia esteve presente em 50,5% dos casos e a trombocitopenia em 84,2%. A ocorrência da Babesia spp. foi mais elevada em cães com raça definida, adultos e fêmeas. Nesse estudo, pode-se concluir que houve diminuição na quantidade eritrocitária e plaquetária no grupo estudado.
Publicado
2016-10-18
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017