ESTRATÉGIAS LÚDICAS APLICADAS AO ENSINO DE PARASITOLOGIA, EM PROJETO DE EXTENSÃO COM CRIANÇAS DE ENSINO FUNDAMENTAL

  • Diego Fernandes Vilas Boas Universidade Federal de Alfenas
  • Elda Gonçalves dos Santos Universidade Federal de Alfenas
  • Pâmela Ingrid Alves Universidade Federal de Alfenas
  • Raissa Rosa da Silva Universidade Federal de Alfenas
  • Isabella Maria Monteiro de Souza Universidade Federal de Alfenas
  • Ivo Santana Caldas Universidade Federal de Alfenas
  • Hermínia Yohko Kanamura Universidade Federal de Alfenas
Palavras-chave: Educação. Esquistossomose. Estratégias de ensino. Jogos educativos. Parasitoses Intestinais.

Resumo

Este trabalho é parte do projeto “Esquistossomose e enteroparasitoses: vigilância epidemiológica associada à educação ambiental e em saúde”, desenvolvido com o objetivo de dimensionar o problema da esquistossomose e das enteroparasitoses para implantação de programa de vigilância e controle das mesmas em municípios localizados na área de abrangência da Superintendência Regional de Saúde de Alfenas-MG. Esta apresentação descreve as atividades educativas realizadas em Cabo Verde,  um dos municípios da regional, tendo como público crianças dos 4o e 5o anos do Ensino Fundamental de escolas públicas. O objetivo foi despertar nas crianças a capacidade crítica sobre as doenças parasitárias, sensibilizando-as quanto à necessidade de adquirir hábitos higiênicos promovendo a prevenção das mesmas, sendo utilizadas aulas teóricas e práticas complementadas com atividades lúdicas, como jogos educativos e laboratório móvel de parasitologia. As ferramentas lúdicas e educativas foram avaliadas quanto ao processo de sensibilização das crianças através da aplicação de questionários abordando questões socioeconômicas, sanitárias, higiênicas, ambientais e medidas profiláticas. O resultado da análise das questões de conhecimentos gerais acerca dos parasitos mostrou que o número de acertos foram superiores ao número de erros tanto nos questionários iniciais quanto nos finais, 61,05% e 63,99% respectivamente. Foi observado ainda, maior desempenho entre os alunos do 5o ano, onde a porcentagem de respostas corretas foi de 69,47% no questionário final e 60,85% no inicial. Entre os escolares do 4o ano o número de respostas corretas foram superiores na primeira avaliação com 61,45%, enquanto a porcentagem de acertos no questionário final foi de 55,22%. A análise comparativa dos questionários permitiu identificar variação no desempenho do projeto de acordo com a classe, 4º ou 5º anos e foi possível concluir ainda que tais metodologias foram além da assimilação do conhecimento científico, mas também contribuíram no favorecimento da interação entre os alunos e estímulo ao trabalho em equipe.
Publicado
2016-10-18
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017