DIAGNÓSTICO MOLECULAR DE Strongyloides venezuelensis NA INFECÇÃO EXPERIMENTAL

  • Priscilla Duarte Marques Fonseca Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
  • Fernanda Mello Malta
  • Dirce Mary Correia Lima Meisel
  • Marcelo Andreetta Corral
  • Ronaldo César Borges Gryschek
  • Fabiana Martins de Paula
Palavras-chave: Estrongiloidíase experimental, Reação em cadeia da Polimerase, diagnóstico parasitológico, diagnóstico molecular

Resumo

Strongyloides venezuelensis é um parasito intestinal de ratos frequentemente utilizado como modelo para estudo da estrongiloidíase humana e animal. O objetivo foi comparar os métodos parasitológicos e molecular no diagnóstico da infecção experimental por S.venezuelensis em ratos (Rattus norvegicus). Amostras de fezes e soro foram coletadas e analisadas até o 60º dias pós- infecção (d.p.i.). Os métodos parasitológicos (contagem de ovos por grama de fezes e cultura em carvão) foram positivos do 5º ao 45º d.p.i. A reação em cadeia da polimerase (PCR) detectou DNA específico de S. venezuelensis, nas amostras de fezes do 5º até o 21º d.p.i. e do 2º até o 8º d.p.i nas amostras de soro. Com base nos resultados, pode-se concluir que a detecção de DNA de S. venezuelensis, a partir de amostras de soro, é uma ferramenta diagnóstica promissora. Portanto, este estudo apresenta uma importante contribuição na melhoria do diagnóstico da estrongiloidíase experimental.
Publicado
2016-10-18
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017