IDENTIFICAÇÃO DE PROTEINAS DE LARVA FILARIOIDE DE STRONGYLOIDES VENEZUELENSIS POR SHOTGUN

  • Marcelo Andreetta Corral
  • Priscilla Duarte Marques
  • Dirce Mary Correia Lima Meisel
  • Débora Levy
  • Sérgio Paulo Bydlowski
  • Pedro Paulo Chieffi
  • William de Castro Borges
  • Ronaldo Cesar Borges Gryschek
  • Fabiana Paula Laboratório de Investigação Mèdica (LIM-06), HC FMUSP.
Palavras-chave: Strongyloides venezuelensis, larva filarioide, espectometria de massa, shotgun

Resumo

A estrongiloidiase humana tem assumido grande importância em saúde pública, no contexto das doenças negligenciadas do Brasil e do mundo. Sabe-se que a espécie de roedores, Strongyloides venezulensis, tem sido utilizada para o desenvolvimento de métodos de diagnóstico molecular e sorológico da estrongilodíase humana. Diante disso, o presente estudo tem como objetivo a análise preliminar utilizando a metodologia de shotgun, para identificar proteínas do estágio evolutivo de larva filarioide. Foram identificadas 338 e 282 proteínas nos extratos solúvel (TSL) e membrana (TML), respectivamente. Ao realizar a sobreposição das proteínas identificadas nos dois extratos (TSL e TML), pode-se observar que 145 proteínas são comuns, enquanto que 193 e 137 proteínas são únicas de cada extrato, TSL e TML, respectivamente. Das proteínas identificadas pela espectrometria de massa, diversas categorias funcionais foram encontradas, como defesa celular, resposta ao estresse, energia, metabolismo, função de ligação ou cofator (estrutural ou catalítica), síntese proteica, comunicação celular/mecanismo de transdução de sinal, interação com o ambiente, proteína desconhecida. Pode-se concluir que estudos relacionados com análises proteômicas de larvas filarioides de S. venezuelensis possam contribuir para a elucidação de proteínas envolvidas na relação parasita-hospedeiro e direcionar novos estudos que visem a identificação de alvos diagnósticos.
Publicado
2016-10-18
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017