DETECÇÃO MOLECULAR DE Giardia duodenalis E Blastocystis spp. EM AMOSTRAS FECAIS ENCAMINHADAS PARA DIAGNÓSTICO EM UM LABORATÓRIO CLÍNICO DE BAURU, SP.

  • Mariana Rodrigues de Oliveira
  • Juliana Carvalho Siqueira
  • Silvana Torossian Coradi
  • Mayra Tambara
  • Ana Paula Oliveira
  • Semíramis Guimarães
  • Erica Boarato David Universidade do Sagrado Coração (USC) e Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho (UNESP)
Palavras-chave: Giardia, Blastocystis, Diagnóstico, PCR

Resumo

Espécies de protozoários intestinais patogênicos podem causar gastroenterite aguda ou crônica em seres humanos e são altamente prevalentes nas populações residentes nos paísesemdesenvolvimento. A despeito da importância em saúde pública, o diagnóstico da infecção por protozoários como Giardia duodenalis e Blastocystis spp tem sido realizado na maioria dos laboratórios clínicos por meio da técnica de sedimentação espontânea, e com isso, o número de casos na população é subestimado. No presente estudo, empregando-se a reação em cadeia da polimerase (PCR), propõem-se avaliar a ocorrência de G. duodenalis e Blastocystis spp em amostras fecais de pacientes atendidos pelo serviço de um laboratório clínico de referência conveniado ao SUS. O serviço recebe de cada paciente uma única amostra de fezes sem conservante. Até o momento, 50 amostras de fezes previamente processadas no referido laboratório e disponibilizadas para o descarte foram submetidas a extração de DNA para a amplificação de sequências iniciadoras do gene β-giardina e da região “barcode” do gene SSU rRNA para a identificação de Giardia e Blastocystis, respectivamente. Das 50 amostras processadas por sedimentação espontânea, quatro (8%) foram positivas para Giardia e Blastocystis não foi detectado em nenhuma delas. Já o diagnóstico molecular revelou a presença de 13 (26%) amostras positivas para Giardia e 28 (56%) positivas para Blastocystis. Esses resultados preliminares chamam a atenção para a alta prevalência de Blastocystis em amostras submetidas à PCR e a ausência desse protozoário no exame coproparasitológico. Vale destacar que, será realizada a caracterização genética dos isolados desses protozoários, a fim de se obter dados sobre os genótipos circulantes nesse grupo de indivíduos.
Publicado
2016-10-18
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017