EFEITO DOS COMPOSTOS MENTOL E MENTONA NA REDUÇÃO DA CARGA PARASITÁRIA DURANTE ESQUISTOSSOMOSE MANSÔNICA EXPERIMENTAL

  • Karina Alves Feitosa Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)- Depto. De Morfologia e Patologia - Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • Ricardo De Oliveira Correia Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)- Depto. De Morfologia e Patologia - Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • Elisandra De Almeida Montija Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)- Depto. De Morfologia e Patologia - Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • Túlio Di Orlando Cagnazzo Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)- Depto. De Morfologia e Patologia - Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • Ana Carolina Maragno Fattori Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)- Depto. De Morfologia e Patologia - Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • Sandra Regina Pereira De Oliveira Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)- Depto. De Morfologia e Patologia - Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • Rosimeire Nunes De Oliveira Instituto de Biologia- Depto. De Biologia Animal- Universidade Estadual de Campinas – (Unicamp)
  • Silmara Marques Allegretti Instituto de Biologia- Depto. De Biologia Animal- Universidade Estadual de Campinas – (Unicamp)
  • Fernanda De Freitas Anibal Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)- Depto. De Morfologia e Patologia - Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
Palavras-chave: Anti-helmíntico, in vivo, Mentha sp., Schistosoma mansoni

Resumo

A esquistossomose mansônica, causada pelo Schistosoma mansoni (S. mansoni), afeta mais de 249 milhões de pessoas mundialmente. O único tratamento dessa parasitose recomendado pela OMS é feito com o fármaco Praziquantel (PZQ). Porém há relatos de possível perda de sensibilidade, sendo assim necessário o desenvolvimento de novos tratamentos. Mentol e mentona são componentes mais abundantes das plantas do gênero Mentha sp., no qual apresenta espécies com efeitos antiparasitários demonstrados. Este estudo propõe avaliar os compostos mentol e mentona frente à redução da carga parasitária durante esquistossomose mansônica. Foram utilizados camundongos Balb-C infectados com 80 cercárias de S. mansoni. Sendo divididos nos seguintes grupos: (G1) Controle positivo (sem tratamento); (G2) Tratados com PZQ (400 mg/Kg); (G3) Tratados com 70 mg/kg de mentol + mentona (70% e 30% respectivamente) e (G4) Tratados com 100 mg/kg de mentol + mentona (70% e 30% respectivamente). Os tratamentos foram iniciados no 45° dia após a infecção com doses diárias durante 15 dias para o mentol e mentona e dose única para o PZQ. Realizou-se a técnica de Kato-Katz para quantificação de ovos de S. mansoni e para recuperação dos vermes adultos realizou-se a técnica de perfusão do sistema porta hepático. Podemos observar que o grupo tratado com PZQ obteve redução significativa de 83% no número de ovos e de 55% no número de vermes. Dentre os grupos tratados com mentol e mentona, o grupo G4 apresentou melhores resultados, quando comparado ao G3, com 14% de redução do número de ovos e 38% na redução de vermes adultos. Enquanto que G3, não obteve redução no número de ovos, porém reduziu em 13% o número de vermes. Dessa forma, sugerimos que o mentol e mentona podem auxiliar na redução da carga parasitária, porém novos testes serão realizados para melhor compreensão destes compostos na esquistossomose mansônica.
Publicado
2016-10-17
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017