LEISHMANIOSE VISCERAL HUMANA: AVALIAÇÃO DOS CASOS DE LETALIDADE NA REGIÃO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, NO PERÍODO DE 2008 A 2015.

  • Rosa Maria Zini Insituto Adolfo Lutz
  • Marcella Kelvya Pierre
  • Mônica Regina Bocchi
  • Nestor Cyriaco da Silva Junior
  • Denise Maria Bussoni Bertollo
Palavras-chave: Incidência, leishmaniose visceral, letalidade.

Resumo

Leishmaniose visceral (LV) é uma doença zoonótica de transmissão vetorial, sendo o cão doméstico o principal reservatório. Doença potencialmente fatal quando não tratada. Geograficamente, encontra-se distribuídos nos quatros continentes. Nas Américas 90% dos casos registrados de LV concentra-se no Brasil, sendo considerada reemergente, e elevadas taxas de incidências e letalidades. O objetivo do estudo foi avaliar os casos de letalidade por LV em pacientes notificados nos serviços de saúde na região de São José do Rio Preto, no período de 2008 a 2015. Utilizou-se dados descritivos obtidos do Sistema de informações de Agravos de Notificações (SINAN) do Grupo de Vigilância Epidemiológica de São José do Rio Preto e Jales. Foram analisadas as seguintes variáveis: taxa de letalidade, município de residência, período de notificação, sexo, faixa etária, sinais e sintomas e tratamento. A região de São José do Rio Preto é composta de 102 municípios, destes 27 possuem transmissão humana e/ou canina de LV. Foi registrada para o período 192 casos confirmados de LV na região, com 20 óbitos, a taxa de letalidade foi de 10,4%. Os municípios com maiores índices de letalidade por LV na região foram Votuporanga 50% e Jales e 25%. Entre 2011 e 2013 concentraram-se os maiores números de casos de óbitos. A maioria dos óbitos foi de pessoas do sexo masculino (15/20), e a faixa etária mais acometida foi em idosos acima de 51 anos de idade (16/20). Os sintomas mais relatados foram fraqueza, febre, emagrecimento e hetoesplonomegalia com 99% dos casos, enquanto que tosse e palidez obtiveram 75%. A droga mais utilizada para tratamento da LV foi a Anfotericina B lipossomal (15/20), enquanto que o Antimonial Pentavalente (Glucantime) foi (5/20) pacientes. Conclui-se que a região possui alto índice de incidência e letalidade de LV e a doença está em franca expansão na região.
Publicado
2016-10-17
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017