ESPÉCIES DE CARRAPATOS COLETADOS EM ÁREA PREDISPOSTA PARA A FEBRE MACULOSA BRASILEIRA

  • Caroline Siqueira Franco Universidade Estadual de Campinas
  • Arício Xavier Linhares
Palavras-chave: Amblyomma, carrapatos, Ixodidae

Resumo

A Febre Maculosa Brasileira é uma zoonose cujo agente etiológico é a bactéria Rickettsia rickettsii, sendo que, no Brasil, o principal vetor é o carrapato Amblyomma sculptum. Para que um local apresente casos da doença é indispensável a presença de um hospedeiro vertebrado que age como amplificador da doença, além de carrapatos que são vetores biológicos de patógenos. Porém, a doença é endêmica em algumas regiões e ausente em outras. O município de Mogi Mirim, nunca apresentou notificação de casos da febre maculosa, embora apresente hospedeiros e carrapatos vetores da bactéria. Por isso, o objetivo deste trabalho foi identificar as espécies de carrapatos coletados em áreas predispostas para a febre maculosa, localizadas em Mogi Mirim. A coleta dos carrapatos foi realizada mensalmente, desde janeiro de 2015 até maio de 2016, nas margens do rio Mogi Mirim e no Lago do Complexo Lavapés, em Mogi Mirim/SP (área predisposta), ambos locais com presença de capivaras. As coletas foram feitas através de armadilhas de gelo seco e arrasto, e os carrapatos coletados foram identificados utilizando-se chave de identificação de Guimarães et al. (2001). Através da armadilha de gelo seco, coletou-se um total de 237 carrapatos e com o método de arrasto 211 carrapatos, totalizando 448 carrapatos nas duas áreas de coleta. A espécie A. sculptum, considerado o principal vetor brasileiro, estava presente, além de A. dubitatum e estágios imaturos do gênero Amblyomma. Portanto, existe a possibilidade de transmissão da Febre Maculosa Brasileira no local estudado.
Publicado
2016-10-17
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017