Dictophyme renale EM CAVIDADE ABDOMINAL DE UM FELINO DOMÉSTICO – RELATO DE CASO

  • Charles Silva de Lima Universidade de Franca (UNIFRAN)
  • Suelen Maia
  • Raquel Baroni
  • Cristiane Alves Cintra
  • Ilan Munhoz Ayer
  • Priscila Cury
  • Soliane Carra Perera
  • Josaine Cristina da Silva Rappeti
  • Leandro Zuccolotto Crivellenti
Palavras-chave: dioctofimose, gato, laparotomia, parasitologia

Resumo

A dioctofimose é causada pelo parasito Dioctophyme renale, ordem Enoplida, classe Nematoda e família Dioctophymetidae, que parasita especialmente caninos e raramente felinos, além de animais silvestres e também o homem. Objetiva-se relatar um caso de parasitismo por D. renale em cavidade abdominal de um felino doméstico. Atendeu-se urgencialmente uma paciente felina, fêmea e adulta, com histórico de prenhez e parto distócico. A paciente foi encaminhada para estudo ultrassonográfico abdominal em que foi observado inviabilidade fetal e ainda identificadas estruturas cilíndricas e arredondadas, com bordos hiperecogênicos e centro hipoecogênico, em cortes longitudinais e transversais no abdome sugerindo tratar-se de um exemplar de D. renale. A paciente foi submetida à cesariana e laparotomia exploratória para remoção do parasito livre na cavidade abdominal. Removeu-se um exemplar fêmea de aproximadamente 40 cm de comprimento, não houveram complicações pós-cirúrgicas. O ciclo de vida do parasito é complexo e requer um oligoqueta aquático (Lumbriculus variegatus), como hospedeiro intermediário. Ademais, peixes e rãs geralmente servem como hospedeiros paratênicos por albergarem larvas infectantes em sua musculatura, as quais são adquiridas pelo consumo dos oligoquetas infectados. O hospedeiro definitivo (neste caso, o felino) foi infectado por ingerir oligoquetas infectados ou por consumir os hospedeiros paratênicos. Atualmente, não há nenhuma opção farmacológica antiparasitária eficaz para tratamento de D. renale. Assim, a laparotomia exploratória é eleita na remoção de parasitos livres na cavidade abdominal e a nefrectomia quando o rim é acometido. Com base nos escassos relatos de literatura sobre dioctofimose em felinos, pode-se concluir que apesar de ser um carnívoro, assim como o cão, possui baixa incidência e aparentemente a cavidade abdominal é mais acometida do que os rins, tratando-se de um caso raro e de grande importância da atuação do médico veterinário como agente de saúde pública.

Biografia do Autor

Charles Silva de Lima, Universidade de Franca (UNIFRAN)
Graduado em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Pelotas (2014). Residência em Clínica Médica de Animais de Companhia, UFPel (2016). Mestrando Programa em Ciência Animal, UNIFRAN. Ênfase em nefrologia e urologia veterinária.
Publicado
2016-10-17
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017