LEISHMANIOSE VISCERAL – SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA

  • José Cláudio Simão Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP
  • Milena Agostinho Tunes Simão Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP
  • Jairo Aparecido Ayres Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP
  • Carlos Magno Castelo Branco Fortaleza Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP
Palavras-chave: Assistência Individualizada de Saúde, Epidemiologia, Fisiopatologia, Leishmaniose Visceral, Parasitologia

Resumo

O progresso e a globalização contribuem para alterar o equilíbrio biológico, social e cultural, repercutindo no processo saúde-doença na população. A Leishmaniose Visceral destaca-se como doença emergente da saúde pública pela alta letalidade quando não diagnosticada e tratada precocemente.  Seguindo o referencial teórico de Robert K. Yin, o estudo teve como objetivo subsidiar a sistematização da assistência conhecendo o perfil epidemiológico e sócio demográfico dos pacientes internados em hospital geral de referência para DRS VI Bauru no período de agosto/09 a agosto/10.  Para isto, foram realizadas 22 entrevistas semiestruturadas, sendo 15 do sexo masculino (19%) e sete do sexo feminino (31,81%), com faixa etária entre 20 e 66 anos, e idade média de 42 anos.  O elevado número de sujeitos com baixa escolaridade (72,74% com 1º Grau Incompleto) chamou atenção e corrobora com a hipótese que esta variável pode ser considerada fator de predisposição para infecção por Leishmania chagassi, influenciando a maneira de viver e interagir com o ambiente, contribuindo para prevalência das doenças relevantes em saúde pública. Na totalidade o diagnóstico parasitológico foi realizado por meio do mielograma a fim de evidenciar a forma amastigota do parasita. Ao exame físico foi detectado prevalência de hepatoesplenomegalia (68,19%), sendo que a hepatomegalia ao reduzir o suprimento sanguíneo comprometendo a absorção de nutrientes, contribuindo para perda ponderal em 63.63% dos casos.  Já a esplenomegalia contribuiu para supressão medular pela deficiência orgânica de vitamina B12 e ácido fólico.  A febre esteve presente na totalidade dos casos como resposta do centro termorregulador frente ao agente agressor a fim de manter homeostase corporal. Ao comprometer o organismo sistemicamente, a Leishmaniose Visceral ocasiona várias repercussões clínicas refletidas em sinais e sintomas, o que exige conhecimento sobre a doença e reflexão constante da prática assistencial para restabelecimento da saúde dos sujeitos acometidos.

Biografia do Autor

José Cláudio Simão, Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP
Departamento de Doenças Tropicais - FMB UNESP 
Milena Agostinho Tunes Simão, Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP
Departamento de Enfermagem - FMB UNESP
Jairo Aparecido Ayres, Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP
Departamento de Enfermagem - UNESP
Carlos Magno Castelo Branco Fortaleza, Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP
Departamento de Doenças Tropicais - FMB UNESP
Publicado
2016-10-17
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017