Potencial leishmanicida de Licochalcona A contra Leishmania amazonensis

  • Rosângela Silva
  • Érica Alves Arantes
  • Júlia Medeiros Souza
  • Karla Ramos Silva
  • Rodrigo Cassio Sola Veneziani
  • Lizandra Guidi Magalhães
Palavras-chave: Leishmania amazonensis, Licochalcona-A, Leishmanicida

Resumo

A leishmaniose é uma doença parasitária negligenciada causada por espécies distintas do protozoário Leishmania sp. O tratamento é realizado usando antimoniais pentavalentes e Anfotericina B, no entanto esses medicamentos possuem grande toxicidade para o hospedeiro. As chalconas tem se mostrado uma fonte riquíssima para obtenção de novos princípios ativos, uma vez que apresenta um amplo espectro de atividades biológicas. Este trabalho teve como objetivo avaliar a atividade leishmanicida in vitro da substância Licochalcona-A (LicoA) contra as formas promastigotas e amastigotas de Leishmania amazonensis. As atividades foram realizadas utilizando Câmara de Neubauer e o método colorimétrico do MTT (brometo de 3- (4,5-Dimetil-2-tiazolil) -2,5-difenil-2H-tetrazólio). Os resultados demonstraram que a LicoA causou uma baixa atividade citotóxica em macrófagos com CC50 (concentração citotóxica 50%) de 123,01 uM às 48 horas, e uma baixa atividade hemolítica (34% de hemólise na concentração de 400 uM). Por outro lado, a Anfotericina B mostrou atividade citotóxica com um valor de CC50 de 21,09 uM às 48 horas e uma atividade hemolítica elevada (56, 96 e 100 % em concentrações de 100, 200 e 400 uM, respectivamente). Além disso, a substância LicoA mostrou atividade leishmanicida com valores de IC50 (concentração inibitória 50%) de 3,81 uM e 20,26 uM em 24 e 48 horas, para promastigotas, respectivamente. Para amastigotas intracelulares, os valores de IC50 da LicoA foi 2,83 uM às 48 horas, para a Anfotericina B os valores de IC50 foram de 0,04 uM e 0,01 uM as 24 e 48 horas, em promastigotas, respectivamente, além disso, para as formas amastigotas, o valor de IC50 de 0,20 uM às 48 horas. A baixa toxicidade para os macrófagos e a baixa atividade hemolítica e ainda os efeitos contra promastigotas e amastigotas são sugestivos que a LicoA pode ser um agente promissor para o tratamento da leishmaniose cutânea.
Publicado
2016-10-17
Seção
FOTOS - ENCONTRO NACIONAL DE PATOLOGIA CLÍNICA VETERINÁRIA 2017