EVOLUÇÃO DOS SENTIMENTOS DOS ACADÊMICOS DE MEDICINA DURANTE A PRÁTICA DO PIESF

  • Amanda de Paula Coimbra Universidade de Franca - UNIFRAN
  • Bruna Moreira da Silva Universidade de Franca - UNIFRAN
  • Mariana Rossi Corregliano Universidade de Franca - UNIFRAN
  • Rafael Akio Watanabe Nakakogue Universidade de Franca - UNIFRAN
  • Samantha Gurgel Oliveira Sousa Universidade de Franca - UNIFRAN
  • Thiago Aparecido dos Santos Universidade de Franca - UNIFRAN
  • Raquel Rangel Cesario Universidade de Franca - UNIFRAN
Palavras-chave: Educação Médica, Emoções, Estudantes de Medicina.

Resumo

Desde o primeiro ano da graduação os alunos de Medicina participam do PIESF, unidade curricular semanal que coloca o estudante em contato com a realidade dos usuários do SUS, realizando atividades práticas como visitas domiciliares e campanhas de prevenção. Tais ações, por envolverem o contato direto com pessoas, despertam experiências e sentimentos novos. O objetivo é refletir sobre os sentimentos estudantis despertadose analisar a evolução destes durante as práticas realizadas no PIESF. Semanalmente vivenciamos a realidade da Atenção Básica, através de visitas domiciliares, abordagem na sala de espera e entramos em contato com experiências e sentimentos novos.Recorrendo aos portfólios e à reflexão grupal, notamos que o PIESF, desde o início, despertou sentimentos negativos e positivos. A precoce inserção dos alunos à realidade do SUS desencadeou uma gama de sensações, como medo, receio e timidez na primeira abordagem aos usuários; raiva, desilusão e perplexidade ao nos depararmos com as falhas na saúde pública, como estrutura deficiente, funcionários insatisfeitos,territorializaçãoineficaz e recursos insuficientes; comoção e apreensão ao lidarmos com impotência frente às necessidades não atendidas dos usuários. Conforme nossa evolução teórica e prática, amadurecemos intelectual e emocionalmente, aprimoramos nossa capacidade de análise ao compreender o complexo funcionamento do sistema público de saúde e obtivemos suporte para lidar com os usuários, através das aulas de Habilidades de Comunicação e experiências práticas. Notamos uma evolução biopsicossocial e espiritual, como benevolência, satisfação, empatia e motivação, principalmente quando contribuímos com o bem-estar dos indivíduos. Ademais, temos esperança que o SUS progrida e proporcione um atendimento mais eficaz, por ser de origem recente e estar em processo de aprimoramento.O período vivenciado no PIESF proporcionou uma evolução intelectual e sentimental, além de uma maior compreensão da realidade da Saúde Pública no Brasil e das necessidades dos usuários.
Publicado
2015-11-21
Seção
IV Jornada de Medicina e II Mostra de práticas do PIESF (Programa de Integração do ensino na Saúde da Família