ESTABILIZAÇÃO TEMPORARIA BILATERAL PARA A CORREÇÃO DE LUXAÇÃO DE COTOVELO

  • Orlando Marcelo Mariani Universidade de Franca
  • Elaine Cristina Stupak Universidade de Franca
  • Daniel Kan Honsho Universidade de Franca
  • Cristine dos Santos Honsho Universidade de Franca
Palavras-chave: congênita, luxação, cotovelo, cão

Resumo

A luxação congênita de cotovelo é uma enfermidade que acomete geralmente cães de pequeno porte e sugere-se que seja hereditária. O exame de eleição para o diagnóstico é a radiografia que irá diferenciar a luxação de cotovelo de outras doenças do desenvolvimento do animal. O tratamento depende do tempo de evolução e alterações patológicas do membro e consiste em redução aberta ou fechada da luxação. Diante disso, o objetivo deste relato é descrever um caso de uma cadela da raça cocker spaniel, com dois meses de idade diagnosticada com luxação congênita do cotovelo bilateralmente. Foi instituído tratamento cirúrgico para redução e estabilização temporária da articulação úmerorádio-ulnar, por meio da colocação de pino transarticular em ambas as articulações, obtendo-se retorno satisfatório da função de ambos os membros torácicos.

Biografia do Autor

Orlando Marcelo Mariani, Universidade de Franca
Aprimorando em clínica cirúrgica de pequenos animais no hospital veterinário da UNIFRAN
Publicado
2016-03-30
Seção
Relato de Caso Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais