NA INTERFACE DAS ESTRATÉGIAS DE LEITURA INSTRUMENTAL E A LEITURA CRÍTICA: REFLEXÕES E SUGESTÕES

  • Valdenildo dos Santos Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) – Campus Três Lagoas.

Resumo

Este artigo traça cronologicamente o ensino de inglês para fins específicos, English for a Specific Purposes (ESP), em inglês, o que se passou a chamar de inglês instrumental no Brasil; faz algumas reflexões a respeito do ato de leitura nesta perspectiva; sugere uma leitura segmentada do texto e a exploração do processo de geração do sentido. O percurso percorrido tem por objetivo oferecer aos professores quetrabalham com leitura em sala de aula, reflexões sobre a leitura com o foco no resultado e no processo, o repensar de sua própria performance e sugerir o aprofundamento do ato de leitura por meio da segmentação textual e a exploração de seus níveis de leitura na expectativa de que se vá além do óbvio. Esse refletir sobre suas atividades na prática de leituraé necessário para ir além da mera compreensão de textos, seja em língua materna ou em segunda língua. As estratégias de leitura instrumentais funcionam quando se busca valorizar o repertório cultural dos alunos, dando-lhes as dicas explicitas no texto, como a observância do título, figuras, cognatos, marcadores discursivos, inferência, etc., rumo à compreensão do enunciado, mas é preciso que o aluno também adquira estratégias para uma leitura que vá além dos efeitos de sentido, aquela apreensão imediata que se tem do que se lê. Neste sentido, afirma-se que pela união das técnicas instrumentais para se entender o texto e da semiótica para uma leitura mais objetiva de enunciados em língua inglesa ou quaisquer outras línguas poderemos ter melhores resultados na habilidade leitura em língua materna ou segunda língua. Acredita-se que é a partir da compreensão de aspectos teóricos e reflexões sobre a aquisição da leitura, as técnicas instrumentais e a leitura mais objetiva do texto que poderemos desenvolver o que aqui propomos.
Publicado
2014-04-04
Seção
Artigos