MANCHETES, PAIXÕES E SENSACIONALISMO: um confronto entre ‘Folha de São Paulo’ e ‘O Estado de São Paulo’

  • Júlio César de Oliveira Universidade de Franca
  • Maria Flávia Figueiredo Universidade de Franca

Resumo

Na linguagem jornalística da mídia impressa, “Manchete” é o título que recebe o maior destaque na primeira página de um jornal. De uma maneira geral, a manchete retrata o assunto mais importante daquela edição, levando em consideração o público para o qual aquele jornal é voltado. No presente trabalho, buscaremos detectar, por meio de comparações de manchetes sobre o mesmo assunto, sinais de manipulaçãolinguística e as diferenças no uso da linguagem entre doisjornais; e como essas diferenças interferem no despertar de diferentes paixões durante a leitura das manchetes, considerando que, segundo Aristóteles, paixões são sentimentos que alteram as pessoas de tal modo, que fazem diferir seus julgamentos. Nosso corpus de análise é constituído de dez manchetes, extraídas de dois dos principais jornais impressos do Brasil, “Folha de São Paulo” e “O Estado de São Paulo”, veiculadas durante os meses de setembro, outubro e novembro de 2010; período em que ocorreram as campanhas e eleições presidenciais, que culminaram com a eleição de Dilma Rousseff, como primeira mulher presidente do país. No desenvolvimento destapesquisa, faremos uma análise linguística das manchetes, com base na Linguística Textual e na Retórica, buscando descrever seu aspecto semântico, sintático e sua constituição passional. Acreditamos que essa análise nos permitirá um rastreamento das possíveis estratégias sensacionalistas presentes nas manchetes dos referidos jornais.
Publicado
2011-06-30
Seção
Artigos