MEMÓRIA, METÁFORA E EFEITOS DE ARQUIVO: guerra e luto em Nausicaä do vale do vento

Resumo

As animações produzidas pelo Studio Ghibli possuem personagens complexos, narrativas fantásticas que usam, muitas vezes, a mitologia japonesa como pano de fundo para a sua construção e alta densidade artística, justapostos em um universo próprio, complexo e harmonioso. Além disso, narrativa explora temas caros a humanidade, como os efeitos e causas da guerra, questões da vida humana, respeito ao próximo e ao meio ambiente, harmonia entre nações, etc. Partindo desses pressupostos, este artigo propõe uma análise discursiva de recortes de Nausicaä do Vale do Vento (1984), realizada através dos conceitos de discurso, condições de produção, materialidade significante, posição sujeito, arquivo, memória e metáfora, de forma que eles sejam a base para a compreensão da construção dos sentidos de guerra e luto presentes na narrativa. Para tanto, a metodologia de pesquisa será bibliográfica, realizada por meio da leitura e interpretação de Lagazzi (2007, 2008, 2009, 2010), Novielli (2018), Orlandi (2016, 2017a, 2017b), Pêcheux (2006, 2014, 2015, 2019) e Robin (2016); e por meio de referências históricas expostas nos estudos de Nakagawa (2020) e Unzer (2019). Sendo assim, sustentadas pelo aparato teórico da análise de discurso materialista, buscaremos desvelar as produções de sentido das sequências selecionadas, pautadas pelas condições de produção, com o objetivo de compreender como a memória e a metáfora retomam e ressignificam a guerra e o luto.

Biografia do Autor

Ketley Roberta Teixeira, Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Linguística pela Universidade de Franca
 
Aline Fernandes de Azevedo Bocchi, Professora pesquisadora na Universidade de Franca; Coordenadora do LabES
Doutora em Linguística pela Unicamp; pós-doutorado pela Université Paris 13
Publicado
2024-06-10