O OCASO OU O ESPLENDOR DAS SEREIAS?

Espacialidades insólitas dos mitos das águas

Resumo

O presente estudo tem como corpus literário narrativas nas quais as protagonistas são seres míticos das águas, como o canto XII de Odisseia; “Sereias”, de Jorge Luis Borges; “O silêncio das sereias”, de Franz Kafka; Ondina: uma história de fadas da mitologia nórdica, de Friedrich De La Motte-Fouqué; “A pequena sereia”, de Hans Christian Andersen; e algumas narrativas presentes na antologia Ocaso de sirenas, esplendor de manatíes, de Jose Durand, dentre outras. O estudo traz fundamentos teóricos que procuram compreender o descompasso muito comum feito pela cultura ocidental, ao distanciar radicalmente real e imaginário/irreal; nesse sentido é que articula a noção de vontade de verdade, de Michel Foucault (1999), e a de insólito, de Lenira Marques Covizzi (1978).  
Publicado
2021-12-28