ANÁLISE DO ETHOS DA PERSONAGEM “SÉRGIO PARANHOS FLEURY” A PARTIR DO CAPÍTULO “A ABERTURA”, DO ROMANCE K – RELATO DE UMA BUSCA, DE BERNARDO KUCINSKI

Resumo

Por meio do presente trabalho, temos como objetivo apresentar uma análise do capítulo “A Abertura”, do romance K – Relato de uma Busca (2016), de autoria de Bernardo Kucinski, a partir da aplicação do conceito de ethos trabalhado por Dominique Maingueneau (2006), contando ainda com outros aportes, como Bakhtin e Voloshinov (2006) e Maziére (2007). Levando em consideração a ancoragem ao contexto histórico, contaremos também com as produções de Souza (2001), Bicudo (2002), Gaspari (2004), Guerra (2012), Godoy (2014), Brasil (2014; 2017), Manso (2020), Napolitano (2020), dentre outras. A abordagem insere-se no campo dos estudos da análise do discurso francesa e se estrutura por meio de revisão bibliográfica em observação qualitativa, de investigação em perspectiva descritivo-analítica. A recente corrente revisionista que busca negar ou opacificar as graves violações de Direitos Humanos ocorridas durante a Ditadura Civil-Militar (1964-1985) ou ainda atribuí-las às vítimas da violência do Estado, além do crescente número de obras ficcionais e estudos sobre o período e sobre a obra em tela, justificam a importância da investigação proposta.

Biografia do Autor

Rafael Menari Archanjo, Instituto Claretiano de Ensino
Doutorando em Linguística pela mesma Instituição (Bolsista PROSUP/CAPES - Processo 88882.367308/2019-1).
Camila Ludovice, Docente e vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Linguística (Mestrado e Doutorado) da Universidade de Franca (UNIFRAN).
Doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP).
Rosana Leticia Pugina, Doutora em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP)
Doutora em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”
Publicado
2021-11-23