NARRATIVAS E CORPOS

Resumo

Neste ensaio pretendemos analisar as questões de atravessamento entre arte, território e a disputa dos discursos e modelos de representação tendo como premissa os corpos e narrativas dos sujeitos  periféricos - muitas das vezes enquadrados como vidas precárias . Tendo como objeto de estudo específico os trabalhos e pensamentos de Taísa Machado e Sandro D’ França. Se em Agamben ao discorrer sobre a vida politicamente qualificável em Aristóteles como é possível perceber e ponderar sobre as linhas de força da sociedade que atuam tanto sobre escrita como a presença dos corpos em determinados processos artísticos de alguns atuantes da cidade do Rio de Janeiro.

Biografia do Autor

Ieda Maria Magri, Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)
Doutora em Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), professora adjunta do departamento de Literatura Brasileira e Teoria da Literatura da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Desenvolveu seu pós-doutorado na UFRJ a partir dos mapas de escritores latino-americanos de Roberto Bolaño e sua influência no contexto literário do continente. É autora dos romances Ninguém (7Letras, 2016), Olhos de bicho (Rocco, 2013), Tinha uma coisa aqui (7Letras, 2007) e do ensaio O nervo exposto: João Antônio, experiência e literatura (Lume, 2013) e organizou, com Paulo Moreira e Saulo Lemos, o e-book Literatura e crítica contemporânea na América Latina. Sua pesquisa atual Literatura brasileira e latino-americana: questões de inserção no cenário contemporâneo é apoiada pela Faperj no programa Jovem Cientista do Nosso Estado (JCNE).
Publicado
2021-12-28