A LINHA TÊNUE ENTRE A VIDA E A ARTE: reflexões dialógicas sobre o autor-criador na seção Um dedo de prosa da HQ Chico Bento Moço, de Mauricio de Sous

dialogical reflections about the author-creator in the section Um dedo de prosa of Chico Bento Moço comics, by Mauricio de Sousa

Resumo

O objetivo deste artigo consiste em refletir sobre marcas do autor-criador manifestadas pelo sujeito organizador dos textos emoldurados (BAKHTIN, 2015) para que se possa compreender o engendramento de vozes sociais e seus respectivos diálogos entre a vida e a arte, considerando, também, o autor-contemplador como agente nesse processo de interação discursiva, sustentados no corpus desta pesquisa, qual seja, a seção Um dedo de prosa das edições 2, 3, 4 e 5 da HQ Chico Bento Moço, produzida pela empresa Mauricio de Sousa. Desse modo, nas análises, procuramos investigar as vozes sociais emanadas pelo discurso do autor-criador, no viés da dialogia. Para tanto, utilizamos os conceitos de ideologia e enunciado concreto, bem como excedente de visão e conhecimento com a finalidade de apresentarmos discussões acerca dos processos de autoria valorados socialmente. A partir de tal problemática, é válido destacarmos que as discussões realizadas, de cunho qualitativo e interpretativo (BAKHTIN, 2011; AMORIM, 2004), estão fundamentadas em leituras teórico-críticas do trabalho do Círculo de Bakhtin, para que possamos tecer considerações pautadas nos estudos dialógicos na relação entre a arte e a vida. Nessa ótica, o que se verifica é a sobreposição de uma voz social por vezes conservadora, como engendradora da formação de um projeto didático direcionado ao autor-contemplador, isto é, o jovem, posto que as argumentações defendidas pela voz que se manifesta nas seções finais das revistas suscitam um outro, pela alteridade, na cadeia enunciativa, conduzindo aproximações permanentes entre o herói e o seu contemplador.
Publicado
2021-08-12