NÃO SEJA BURRO!: PRECONCEITO COMO A CHAVE PARA O SUCESSO

  • Larissa Bueno dos Santos Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, campus de Araraquara-SP
  • Marina Célia Mendonça
Palavras-chave: sociolinguística, preconceito linguístico, letramento

Resumo

Este artigo busca analisar, à luz de teorias sociolinguísticas, o primeiro vídeo da série online Não seja burro!, de Marcela Tavares, veiculada no YouTube e no Facebook. O primeiro vídeo dessa série teve grande repercussão nessas redes e contava com 1.470.952 visualizações no YouTube em julho de 2017. A série, composta, até a data de elaboração deste artigo, por 14 vídeos, propõe ensinar a escrever e a falar “corretamente” a língua portuguesa, de acordo com uma gramática normativa do português que não é explicitada, seguindo as regras da autointitulada professora Marcela Tavares, a qual institui formas “corretas” e “erradas” de se expressar. Como atestado por Santos (2017), os enunciados de Tavares são perpassados por um discurso purista sobre a linguagem, o qual despreza as variedades linguísticas, tomando-as como erradas, instituindo o que chamamos de preconceito linguístico. Neste artigo, pesquisa ampliada de Trabalho de Conclusão de Curso (SANTOS, 2017), com base estudos em Sociolinguística, buscamos, primeiramente, discutir alguns conceitos teóricos e, a seguir, apresentar a análise de alguns comentários de Marcela Tavares presentes no primeiro vídeo de sua série online, explicitando a coerência dessas ocorrências condenadas, tendo em vista o sistema da língua portuguesa, e a incoerência de Tavares ao julgá-las.

Biografia do Autor

Larissa Bueno dos Santos, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, campus de Araraquara-SP
Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Linguística e Língua Portuguesa da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, campus de Araraquara-SP. Bolsista CNPq.
Marina Célia Mendonça
Professora Doutora do Departamento de Linguística da da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, campus de Araraquara-SP.
Publicado
2020-03-03