A oralidade na era do Inglês como Língua Franca: percepções de professores de inglês em formação

  • Andressa Brawerman Albini Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Palavras-chave: Formação de professores, Inglês como Língua Franca, Oralidade.

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo investigar como os professores de inglês em formação percebem o aspecto da oralidade dentro do contexto do Inglês como Língua Franca (ILF). O instrumento utilizado para averiguar esta questão foi um questionário aplicado a estudantes de Letras Português-Inglês de uma universidade pública, contendo perguntas relacionadas à oralidade (compreensão e produção oral e pronúncia) e às emoções dos alunos quanto ao ensino de língua inglesa. Estudos sobre ILF, inteligibilidade e Lingua Franca Core servem de referencial teórico, fundamentado principalmente em pesquisas desenvolvidas por Jenkins (2000), Walker (2010), Jenkins et al. (2011), Canagarajah (1999, 2005, 2006) e House (2012). Após a análise das respostas ao questionário, verificou-se que os estudantes dão grande importância ao ensino e à prática das habilidades orais e preocupam-se com a inteligibilidade e a compreensão mútua.  Conclui-se, então, que há grande influência do ILF na formação desses estudantes, o que leva a crer que a principal contribuição deste estudo seja conscientizar os estudantes e futuros professores de inglês que é possível comunicar-se eficazmente, sem medo de errar, sabendo que conhecer uma outra língua envolve vários aspectos que vão além da precisão da fala. 
Publicado
2020-03-03