SKROTINHOS: COMO SE CONFIGURAM OS SACANAS, DE ANGELI

  • Ana Cristina Carmelino Departamento de Letras da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Palavras-chave: Estereótipo, Sacana, Humor gráfico, Multimodalidade, Skrotinhos.

Resumo

Criados por Angeli em 1988, os personagens conhecidos como Skrotinhos constituem um exemplo de “sacana” representativo do humor gráfico paulistano. Partindo dessas considerações, este artigo pretende mostrar por meio de que elementos discursivos e gráficos são gerados o estereótipo do sacana e o humor característico das produções. Aventa-se a hipótese de que a conduta sacana e a comicidade são produzidas, sob certas condições, na articulação entre imagem e palavra, isto é, de forma multimodal. Desse modo, o referencial teórico que fundamenta o estudo é constituído pelos recursos da linguagem dos quadrinhos (EISNER, 2008; RAMOS, 2010, 2017) e pelo conceito de estereótipo, visto sob a ótica da Análise do Discurso francesa (AMOSSY, 1991, 2016; AMOSSY; HERSCHBERG-PIERROT, 2001), dos Quadrinhos (EISNER, 2008) e do Humor (POSSENTI, 2010). Os exemplos usados para ilustrar as análises fazem parte especificamente do livro Skrotinhos (ANGELI 2010).

Biografia do Autor

Ana Cristina Carmelino, Departamento de Letras da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Professora Associada do Departamento de Letras da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP. Bacharel e Licenciada em Letras. Mestre e doutora em Linguística e Língua Portuguesa. Pós-Doutora em Linguística. Líder do GETHu – Grupo de Estudos de Textos Humorísticos (CNPq). Membro do Centro de Pesquisa Fórmulas e Estereótipos: Teoria e Análise (FEsTA).
Publicado
2018-08-14