COMPAIXÃO-MISERICÓRDIA: UMA PAIXÃO ARISTOTÉLICA

  • Luiz Alves de Souza Universidade de Franca
  • Maria Flávia Figueiredo Universidade de Franca
Palavras-chave: pathos, paixão, compaixão, retórica, argumentação.

Resumo

Este trabalho explora o tema da compaixão-misericórdia no conjunto das quatorze paixões descritas pela argumentação aristotélica na obra Retórica, em uma edição denominada Retórica das paixões, com amplo prefácio por Michel Meyer. Este artigo se desenvolve a partir dos conceitos de paixões e do έλεος (éleos) aristotélicos, adotando a expressão compaixão-misericórdia como tradução desse termo grego. Sequencialmente apresenta considerações etimológicas e semânticas dessa composição, expõe alguns antecedentes necessários para compreensão do pathos, e faz detalhamentos sobre a compaixão-misericórdia como presente na obra, quais sejam: quem sente ou não compaixão; os motivos que a fazem surgir; a inspiração ou circunstâncias em que ela emerge; de quem se deve ter ou não compaixão e também detalha o que é digno de compaixão. O estudo dessa paixão como exposto neste intratexto abre possibilidades de expandi-la em estudos intertextuais temáticos que a mesma estabelece com outras obras. Além dessa perspectiva intertextual, no universo discursivo, o conhecimento das características conceituais da compaixão-misericórdia abre espaço para análises polissêmicas do sujeito no texto e, por isso, fortalece, pelo conhecimento do funcionamento da língua, o desvendar das atitudes humanas na literatura e na vida.
Publicado
2010-10-25
Seção
Artigos