Tradução e simbolismo no poema l'Homme et la bête de Léopold Sédar Senghor

  • Mariana Janaina dos Santos Alves Universidade Federal do Amapá Campus Binacional de Oiapoque
Palavras-chave: Tradução. Simbolismo. Poesia. Senghor. Négritude.

Resumo

O artigo apresenta a primeira tradução do poema L'homme et la Bête, de Léopold Sédar Senghor, retirado do livro Éthiopiques (1956) para a língua portuguesa. O texto é resultante do projeto Tradução de poemas de Léopold Sédar Senghor: Modernismo, Négritude e Africanidade que tem como objeto, a análise crítica e tradução de alguns poemas do livro citado. A obra do escritor senegalês pertence ao eixo de produção literária africana francófona moderna. O projeto é desenvolvido desde abril de 2017 no Colegiado de Letras, Campus Binacional da Universidade Federal do Amapá. Dentre os procedimentos metodológicos empregados para a escrita deste estudo, destaca-se primeiro, que será feita a contextualização da escrita e obra senghoriana, em seguida, com o amparo dos conceitos apontados no âmbito dos Estudos da Tradução e o uso da Literatura Comparada quanto método, propõe-se a apresentação do poema em francês, seguido, da tradução em língua portuguesa. Ressalta-se que durante o percurso de leitura será feita uma análise do texto proposto com base nos postulados da tradução cultural e da poética. Quanto ao aporte para o embasamento teórico serão tomados como referência os textos: Parole et utopie: Paradigmes de la transition postcoloniale chez ó Cadhain et Senghor (2013) de Michael G. Kelly, La poésie de Senghor et l’Afrique (2004) de Celina Scheinowitz e A tradução literária (2012) de Paulo Henriques Britto. Os estudos teóricos relevantes à pesquisa certamente estão ancorados pelos estudos da cultura, o movimento da Négritude e a crítica sobre esta produção, todavia, aplicada à leitura de textos poéticos.

Biografia do Autor

Mariana Janaina dos Santos Alves, Universidade Federal do Amapá Campus Binacional de Oiapoque
Professora Assistente A de Língua  e literatura francesa na Universidade Federal do Amapá - Campus Binacional de Oiapoque. Doutoranda em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"- UNESP- Araraquara. Membro do Núcleo de Pesquisa em Estudos Literários (NUPEL) do CNPq.
Publicado
2018-08-14