Nos bastidores do ‘show’: um percurso histórico-filosófico para uma discussão contemporânea sobre educação brasileira.

  • Carlos Eduardo da Silva Ferreira Unesp/Unicamp/Univesp
Palavras-chave: Geraldi, ciência, fazer científico, educação brasileira.

Resumo

Este artigo trabalha centralmente com o texto de Geraldi (2003), ‘Depois do show, como encontrar encantamento?’ traçando, num movimento dialógico-dialético, a temática do fazer científico, tomando fios histórico-filosóficos sobre a ideia de ciência e sociedade. Para tal percurso, coloco em cena reflexões centrais de ópticas nietzschiana e bakhtiniana, apontando como os dizeres deste texto de Geraldi se aproximam destas bases de pensamento acerca de compreensões sobre o sujeito em seu trabalho científico a partir de concepções sobre ciência. Em seguida, estas reflexões desaguam em debates entremeados na esfera da educação, afinal de contas, como encarar ciência e educação na contemporaneidade no que diz respeito à movimentação de identidades? Como as vivências escolares no cenário brasileiro vêm encarando a ideia de conflito e de devir em seus discursos oficiais? Teremos aqui os “bastidores” do show que Geraldi nos encaminhou. No meio das instabilidades contemporâneas, como a análise discursiva pode nos ajudar a entender pontos de vista sobre a perda de âncoras formais? Façamos aqui um momento de dinamização interna inerente ao texto geraldiano, na prerrogativa de interpretar o mundo contemporâneo por vozes em conflito como referência.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo da Silva Ferreira, Unesp/Unicamp/Univesp
Linguística e Língua Portuguesa - Unenesp/AraraquaraEducação matemática e Ciências da Natureza - Unicamp
Publicado
2018-08-14