GRANDE CILINDRO CÉREO-GRANULOSO EM CÃO

Ágatha Ferreira Xavier de Oliveira, Naiara Vidal Stocco, Verônica Cristina de Oliveira Aguilera, Andresa Guimarães, Cristiane Divan Baldani

Resumo


Os cilindros são estruturas microscópicas que se formam no lúmen dos túbulos distas e ductos coletores dos rins, através da precipitação de mucoproteínas secretadas pelas células epiteliais tubulares renais. Debris celulares podem se aderir aos cilindros, antes ditos hialinos, e estes tornam-se cilindros granulares. Em fases mais crônicas, os cilindros granulares se deterioram e formam os cilindros céreos, que se caracterizam por extremidades quebradiças e irregulares. O aumento da formação destas estruturas é favorecido quando o fluxo renal está diminuído, quando há uma elevada concentração urinária (concentração de sais) e pH baixo. Na literatura é descrito que durante a centrifugação da urina, utilizada na análise de sedimentos urinários, pode haver uma fragmentação destas estruturas. No presente estudo, foi observado um grande cilindro céreo-granuloso, juntamente com algumas gotículas de gordura oriundos da urina de um cão, SRD, adulto, com injúria renal aguda.


Palavras-chave


cilindrúria, canino, mucoproteína.



DOI: http://dx.doi.org/10.26843/investigacaov1762018p%25p