EFUSÃO SÉPTICA EM CÃO

Verônica Cristina de Oliveira Aguilera, Agatha F. Xavier de Oliveira, Naiara Vidal Stocco, Andresa Guimarães, Cristiane Divan Baldani

Resumo


Análise microscópica de fluido cavitário de cão onde observou-se hipercelularidade com 55.100céls/µl células nucleadas, composta por 75% de neutrófilos segmentados, 17% de macrófagos e 8% de linfócitos. Os neutrófilos segmentados apresentaram-se em sua maioria tóxicos e com bactérias intracelulares e os macrófagos ativados com intensa vacuolização citoplasmática, realizando eritrogacocitose e leucofagocitose. Também observou-se hemácias, bactérias e células mesoteliais reativas, tendo como diagnóstico Exsudato Séptico. Os exsudatos sépticos se diferem dos não-sépticos pela presença de bactérias que muitas vezes estão sendo fagocitadas. Os exsudatos se formam pelo aumento da permeabilidade capilar secundária a inflamação e aos seus estímulos quimiotáticos, resultando em um acumulo de líquido com elevadas concentrações de células nucleadas e concentração de proteínas em cavidades.


Palavras-chave


Efusão, exsudato séptico, Cão



DOI: http://dx.doi.org/10.26843/investigacaov1762018p%25p