SOROPOSITIVIDADE VACINAL PARA LEISHMANIOSE CANINA EM PACIENTE COM HIPOTIREOIDISMO

Suellen Rodrigues Maia, Paula Barbosa Costa, Jessica Cristina de Barros, Vanessa Yurika Murakami, Larissa Ayane do Nascimento Braz, Isabella de Oliveira Corazzari, Jeniffer Gabriela Figueroa Coris, Tiago Machado Carneiro Lucera, Daniel Paulino Junior

Resumo


As alterações cutâneas são uma das queixas mais frequentes no atendimento de cães e gatos, e representam para o clínico de pequenos animais um desafio quanto ao diagnóstico de sua etiologia e, consequente tratamento, uma vez que sua apresentação clínica é comum a diversas enfermidades. Considerando essa problemática o presente relato objetiva descrever o atendimento de um cão com lesões dermatológicas inespecíficas que apresentou soropositividade vacinal para leishmaniose canina e diagnóstico de hipotireoidismo. O animal foi submetido a testes sorológicos rotineiros para o diagnóstico da zoonose em questão (Ensaio Imunoenzimático-ELISA e Reação de Imunofluorescência Indireta-RIFI), que acusaram resultados positivos e, no entanto, diferiram do resultado no teste sorológico que apresenta maior especificidade (imunocromatográfico de dupla migração – DPP, preconizado atualmente como triagem pelo Ministério da Saúde- MS) e também na avaliação parasitológica de amostras citológicas de linfonodos, indicando  possibilidade de soroconversão vacinal, já que o mesmo respondeu completamente ao tratamento endócrino com levotiroxina sódica, incluída após os resultados das dosagens hormonais de tiroxina livre por diálise e do hormônio tireoestimulante que confirmaram a ocorrência do distúrbio endócrino, alterando o prognóstico da enfermidade do animal.


Palavras-chave


Dermatopatias, soroconversão vacinal, endocrinopatia, zoonose.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.26843/investigacaov1752018p%25p