ASSOCIAÇÃO ENTRE A ANÁLISE DO LÍQUIDO CEREBROESPINHAL E GRAVIDADE DO QUADRO NEUROLÓGICO EM CÃES COM PATOLOGIAS ESPINHAIS TORACOLOMBARES

Andréia Coutinho Facin, Larissa Gomes Silva, Nathan da Rocha Cruz, Áureo Evangelista Santana, Luis Gustavo Gosuen Gonçalves Dias, Paola Castro Moraes

Resumo


A evolução do quadro neurológico pode ser sugerida de acordo com os sinais clínicos e isso se faz importante para esclarecer aos proprietários as chances de recuperação de um paciente com deficiências neurológicas decorrentes de discopatias. No caso da doença do disco intervertebral, embora a forma mais confiável de prognóstico ainda seja baseada na avaliação da perda de nocicepção profunda, estudos recentes mostraram que a análise de rotina do líquido cerebroespinhal (LCE) contribui para predizer o prognóstico para cães com a doença do disco intervertebral, mais especificamente, a associação entre a severidade dos sinais neurológicos e a contagem total de células no LCE pode ser útil no estabelecimento do prognóstico de animais com a doença do disco intervertebral. O presente estudo avaliou e comparou a contagem global e diferencial de células nucleadas, concentração de proteínas, pH e densidade no LCE de cães com a doença do disco intervertebral toracolombar com a gravidade dos sinais neurológicos.

Palavras-chave


Análise, Cão, Discopatia, Líquido cerebroespinhal

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.26843/investigacaov1732018p%25p