PIELONEFRITE ASSOCIADA À PROSTATITE ABSCEDATIVA EM CÃO

Andresa Matsui, Julio Edward Hough Monteiro, Mayara de Cássia Luzzi, Carolina Ribeiro Garcia de Paiva Lopes, Rosemeri de Oliveira Vasconcelos

Resumo


Fotomicrografias de rim e próstata de cão, labrador, 7 anos. (A) Camada medular renal com acúmulo de neutrófilos degenerados (detalhe) associados à necrose tubular (*), com focos de calcificação distrófica (setas, A/B). C/D) Próstata com hiperplasia de ácinos (seta) e presença de área preenchida por conteúdo purulento (*, C) e presença de bactérias intralesionais (setas, D). Nos cães, a prostatite pode ser observada em animais idosos, geralmente concomitante à hiperplasia da glândula, ou em animais jovens, contudo sem hiperplasia. A lesão inicial é a inflamação catarral ou purulenta dos ácinos, que se expande e atinge o interstício, formando abscessos. A maioria dos casos origina-se após a ascensão de micro-organismos pela uretra, como a Escherichia coli, Proteus sp., e outros. A Brucella canis é um dos importantes agentes causadores da prostatite, sendo a próstata um possível local de persistência do agente infeccioso. A evolução deste quadro geralmente é a pielonefrite.

Palavras-chave


Pielonefrite, prostatite, supurativa, cão