TRIPANOSSOMÍASE EM SANGUE PERIFÉRICO DE CÃO

Stéphanie Silva Nunes de Almeida, Adelly Caroline Mota, Tiago Jubé de Oliveira, Marina Santos da Silva, Danieli Brolo Martins

Resumo


Trypanosoma spp. em esfregaço sanguíneo de um cão, cinco meses, raça Fox Paulistinha. O animal havia sido diagnosticado há dois meses com hemoparasitose por Ehrlichia spp. em uma clínica particular, não havendo melhora após tratamento com antibioticoterapia. O Trypanosoma spp. parasita tanto animais domésticos quanto silvestres. Sua distribuição geográfica é cosmopolita. Os sinais clínicos e achados laboratoriais são principalmente febre, apatia e anemia, esta que por sua vez é de caráter normocítica normocrômica arregenerativa com provável origem hemolítica extravascular. O diagnóstico é facilmente confirmado pela identificação do parasita em esfregaço sanguíneo de animais em picos febris. Neste caso, morfologicamente o parasita assemelha-se ao Trypanosoma evansi, contudo para ratificação da espécie recomenda-se a realização de técnicas moleculares. 


Palavras-chave


Trypanosoma; Canino; Esfregaço