ANOMALIA DE PELGER-HUËT EM CÃO

Roberta Martins Basso, Ivanio Teixeira de Borba Junior, Bruna dos Santos, Nayara Limonta, Regina Kiomi Takahira

Resumo


Anomalia de Pelger-Huët em esfregaço de sangue periférico de um cão, Labrador, adulto. Animais heterozigotos para a anomalia apresentam predomínio de granulócitos hipossegmentados, porém maduros e com função normal. O núcleo semelhante às formas jovens de neutrófilos (bastonetes ou mielócitos) pode causar uma falsa interpretação com identificação de um desvio à esquerda, entretanto a cromatina presente nesses leucócitos é tão condensada quanto à de neutrófilos segmentados maduros. O animal foi encaminhado ao serviço com queixa de aumento de volume em região cervical, tosse e ingestão de corpo estranho. O hemograma foi realizado no hospital por meio de contador automático PocH-100iV Diff (Sysmex, Roche Diagnóstica) e observou-se contagem de leucócitos totais de 7.800/µL com presença de grande quantidade de neutrófilos hipossegmentados, sugerindo a anomalia de Pelger-Huët. 


Palavras-chave


Pelger-Huët, canino, esfregaço