AVALIAÇÃO DA VITALIDADE DE BEZERROS NEONATOS

Marina Gavanski Coelho, Marlon Richard Hilário da Silva

Resumo


Com a evolução das biotécnicas reprodutivas inseridas especialmente na bovinocultura leiteira, exige-se um controle mais intenso de indicadores como manejo gestacional, de parto e cuidados com o bezerro recém-nascido. Tendo em vista que animais provenientes dessas técnicas tendem a apresentar uma menor vitalidade após o parto e uma maior incidência de distocias devido ao crescimento exacerbado do feto e disfunções placentárias, o que contribui para prejudicar a taxa de sobrevivência dos neonatos e a morbidade e mortalidade ao longo de toda a fase de criação. Os partos distócicos tendem a comprometer o fluxo sanguíneo materno-fetal gerando um agravamento do quadro fisiológico ao parto ocasionando hipóxia e acidose mista temporária mais intensa prejudicando a vitalidade do recém-nascido. A avaliação vitalidade pode ser realizada através do escore Apgar, uma ferramenta que pode auxiliar na tomada de decisão sobre o melhor manejo inicial para os neonatos de forma particular e definir os animais que precisarão de maiores cuidados e atenção ao longo das primeiras semanas de vida. Contudo, o que deve ser claro é que esse parâmetro não pode ser avaliado de forma isolada, mas sim considerando outros indicadores dentro da cadeia produtiva da fazenda que podem estar contribuindo com os resultados negativos na taxa de sobrevivência dos bezerros.

Palavras-chave


Medicina Veterinária

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.26843/investigacaov1732018p%25p