A IDEOGRAFIA COMO ESTRATÉGIA ESTÉTICA DA PROSA ROMANESCA DE MACHADO DE ASSIS

Daniela Soares Portela

Resumo


Em Memórias Póstumas de Brás Cubas, Esaú e Jacó e Memorial de Aires, Machado de Assis incorpora a fisicalidade do suporte do romance como elemento estético. Essa incorporação evidencia como a consciência do veículo de expressão permite ao autor debater os princípios da estética realista sob a perspectiva da desnaturalização cultural entre a realidade empírica e o signo verbal. Ao propor o encurtamento dos capítulos como técnica narrativa de expressão de uma realidade fragmentada, Machado rompe com o ilusionismo de totalidade do projeto de inventário da estética realista, bem como das propostas filosóficas do século XIX: a medicina experimental de Claude Bernard, o positivismo de Augusto Comte, a evolução de Darwin.

Texto completo:

PDF