POST DE UMA MORTE ANUNCIADA

MODOS DE CONSTITUIÇÃO DO SUJEITO NO DIGITAL

Resumo

Neste artigo, analisamos a publicação de despedida de um jovem suicida em suas redes sociais. Ancorados nos preceitos da Análise de Discurso, particularmente representados pelos nomes de Michel Pêcheux e Eni Orlandi, abordamos os processos de constituição de sujeitos e sentidos, tendo em vista a interpelação do indivíduo em sujeito pela ideologia, no simbólico. Interessa-nos compreender, nos modos de formulação do suicídio, como o sujeito se constitui ao anunciar sua morte na rede digital. Perguntamo-nos, deste modo, sobre a constituição de uma prática contemporânea de morte e luto, em uma sociedade constituída pelo digital. As análises nos permitem considerar o suicídio como sintoma de um mal-estar relacionado às relações sociais, ou seja, à forma como os laços sociais se dão em nossa sociedade, marcados pela divisão estruturada por relações de poder desiguais, o que nos mostra que, no dizer sobre o suicídio habita o político. Palavras-chave: Morte. Luto. Constituição do sujeito. Redes sociais digitais.  

Biografia do Autor

Guilherme Beraldo Cesário, UNIFRAN
Psicólogo e Especialista em Psicanálise Contemporânea pela Universidade de Franca
Aline Fernandes de Azevedo Bocchi, Docente Pesquisadora do PPG Linguística da Universidade de Franca
Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas
Publicado
2020-12-14