A Repetição Histórica em Redações de Vestibulares: a Autoria e o Senso Comum

Ana Cristina Carmelino, Daniele Cristina dos Santos

Resumo


Analisar como os vestibulandos se posicionam diante das propostas de redação dos vestibulares e das coletâneas de textos que essas propostas trazem consiste no objetivo principal deste trabalho. Com base nos estudos que versam sobre autoria, a saber, o de Foucault (1992) e de Orlandi (1996), assumimos, juntamente com Orlandi, que é pela repetição – parte da história e não um mero exercício mnemônico – que o autor produz o que é interpretável. Assim, analisando quatro redações dos processos seletivos de 2001 a 2004 da Unimep que receberam notas entre 1 e 4, verificamos que os textos dos vestibulandos apresentaram repetição histórica, contudo essa está presa ao próprio discurso do senso comum. Com este estudo, buscamos contribuir para a reflexão da dificuldade do processo de produção textual, principalmente em práticas de vestibulares, fornecendo aos professores subsídios que possam contribuir para revisão de suas práticas docentes.

Palavras-chave


autoria; redação de vestibular; repetição-histórica

Texto completo:

PDF